Como fazer um Estudo de Viabilidade Econômica na sua empresa

A análise de viabilidade econômica visa medir ou analisar se um determinado investimento é viável ou não. Continue lendo e baixe a sua Planilha de Viabilidade Econômica e Ponto de Equilíbrio grátis e potencialize as análises da sua empresa.

Se você está por aqui, com certeza já ouviu falar em análise de viabilidade econômica.

Como você deve saber, essa é uma excelente prática que, sabendo utilizá-la da melhor forma, possibilita saber se um determinado investimento ou negócio trará retorno financeiro para a empresa.

Continue lendo e baixe sua planilha gratuita para empresas acima de 3 CNPJs:

Mas afinal, o que é a análise de Viabilidade Econômica?

A análise de viabilidade econômica e financeira tem a função de estudar se um investimento ou um novo negócio será efetivamente viável ou não.

Em outras palavras, o estudo de viabilidade econômica irá compará os possíveis retornos de um projeto e, com os resultados da análise, decidir se vale a pena o investimento. Com isso, é possível desistir de projetos caso não compense investir esforços e dinheiro.

Como fazer análise de viabilidade econômica na sua empresa?

Esta análise deve ser feita em algumas etapas, sendo elas:

Projeção de Receitas

Esta etapa é realizada para que se possa identificar a capacidade de geração de dinheiro. No entanto, deve seguir alguns passos importantes, como conhecer bem o mercado, por exemplo, para evitar a projeção de números expressivos demais e impossíveis de serem atingidos.

Sendo assim, é importante realizar uma projeção de receita com números realistas, dependendo do mercado e de quais investimentos serão feitos.

Projeção de custos, despesas e investimentos

Para projetar os custos, despesas e investimentos é importante que estes justifiquem a projeção das receitas.

Isso significa que, por exemplo, no caso da abertura de uma empresa, a projeção de vendas depende da capacidade de produção do negócio. Logo, sabe-se que será preciso outros investimentos, como mão de obra ou máquinas de produção.

Um erro muito comum entre as empresas, é considerar apenas o investimento inicial e assumir que a estrutura daquele projeto não se modificará.

Projeção de fluxo de caixa

O fluxo de caixa se trata da entrada e saída constante de dinheiro na empresa. Com a análise de viabilidade econômico, o fluxo de caixa projetado é estimado pela diferença entre as projeções de receitas e despesas.

Este é um instrumento essencial para a realizar a análise de viabilidade econômica. Confira mais detalhes sobre o fluxo de caixa projetado neste artigo.


Análise de indicadores

Feito as etapas anteriores, é o momento de analisar os indicadores financeiros. Os principais são: Valor Presente Líquido (VPL), Taxa Interna de Retorno (TIR) e o Payback. Confira mais detalhes de cada indicador financeiro:

Valor Presente Líquido (VPL)

O VPL traz todos os fluxos de caixa esperados pelo investimento para a mesma data e os desconta com a Taxa Mínima de Atratividade.

Até então os fluxos são somados e o total é subtraído o valor do investimento.

Se o saldo final do VPL for positivo, significa que o projeto tem capacidade de lucro. No entanto, caso o valor seja zero significa que o projeto se paga ao longo dos anos, mas sem lucro. E por fim, se o resultado for negativo, significa que o projeto gera prejuízo.

Taxa Interna de Retorno (TIR)

O TIR é a rentabilidade própria do projetado. Para a análise de viabilidade ser positiva, o resultado do TIR precisa ser maior que a da TMA.

Para realizar a análise deste indicador, é preciso ter em mãos a taxa mínima de atratividade (TMA) do investimentos, pois será preciso comparar as duas taxas.

Se o resultado dessa comparação for maior que a TMA, o projeto consegue pagar o investimento e sobra capital. Se ambas taxas forem iguais, significa que o projeto consegue pagar o investimento, mas sem lucro. Por fim, se a TIR for menor que a TMA, o projeto gerará prejuízo para a empresa.

Payback

Por fim, o payback é o indicador que mostra quanto tempo levará até o investimento se pagar. Existem duas formas de calculá-lo

A primeira forma é chamada de payback simples, que não leva em consideração o valor do dinheiro no tempo. Por exemplo, se você investiu R$100.000,00 reais em uma empresa e ela gera retornos mensais de R$10.000,00, o payback será de 10 meses.

Outra forma de calcular é através do payback descontado, em que se utiliza a TMA para descontar os fluxos de caixa e trazê-los à mesma data do investimento inicial.

Gostou deste conteúdo? Então, inscreva-se abaixo e receba outros artigos como este direto no seu e-mail. Sem custos!


 

1 Comentário

  1. 03/07/2019 at 9:52 am

    […] O payback, como outros indicadores, tem sua importância e deve ser considerado pelos gestores na hora de avaliar a viabilidade de projetos e investimentos. […]

     


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *